| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL RJ -NITERÓI E BAIXADA FLUMINENSE
Desde: 16/11/2009      Publicadas: 8706      Atualização: 01/10/2013

Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA


 NOSSO JORNAL

  28/05/2010
  0 comentário(s)


Por Uma Administração Moderna, Eficaz e Voltada Para o Público

Modernizar a máquina administrativa representa um desafio essencial para os dirigentes públicos e para o conjunto de toda a sociedade brasileira. Mas como o burocrata tem uma visão burocrática até mesmo da desburocratização, persistimos nos erros de outrora apresentando-os como soluções novas.

Por Uma Administração Moderna, Eficaz e Voltada Para o Público

As eleições de outubro próximo ensejam a oportunidade de se recolocar em outros termos a questão da Reforma do Estado. Até agora a agenda de discussão tem sido eminentemente negativa.
Parece até que a Reforma do Estado brasileiro se esgota em problemas de administração de pessoal, e, o que é pior, nos aspectos disciplinares e juridiscistas do funcionalismo público - caça aos fantasmas e aos marajás, controle do ponto, recadastramento, contenção da folha, demissão, retirada dos privilégios e junto vão de roldão as reais conquistas e direitos dos servidores.

É um enorme baixo astral na administração pública, com evidentes repercussões na motivação, produtividade, qualidade e desempenho da máquina administrativa. Isto sem falar no inchaço desenfreado que se realiza em todos os níveis de governo, mormente o Federal.

Não se pode dizer sequer que essa ênfase negativa da Reforma do Estado obtém resultados de curto prazo, como tem acontecido com algumas empresas privadas que se iniciam em programas equivocados de reengenharia, avant-première da concordata. No serviço público tem resultado apenas em perdas.
É preciso redefinir a Reforma do Estado com uma agenda positiva, de construção de uma nova administração pública. Não se quer dizer que os aspectos disciplinares devam ser abandonados. Mas eles integram um conjunto bem mais amplo da ação reformadora. O que não é mais possível é conviver com recadastramentos e censos, campanhas de caça aos marajás, ameaças de demissão etc. que se repetem monotonamente, sai governo entra governo, sem uma solução institucionalizada e definitiva para problemas crônicos e generalizados.
A evolução recente do processo político brasileiro, potencializa a possibilidade - até a pouco um sonho - de promover profundas transformações democráticas na administração pública brasileira. A morosidade, o formalismo, a ineficiência, a apatia, a complicação e até mesmo a insensibilidade política e social do aparato institucional constituem entraves ao dinamismo da sociedade e aos verdadeiros anseios da comunidade.

Modernizar a administração pública, portanto, representa um desafio essencial para os governantes. Sem tal esforço, será impossível pensar em descentralização administrativa, democratização do governo, participação popular e cidadania, objetivos que exigem um aparelho estatal leve, ágil, dinâmico e eficaz, a serviço real da população e dos interesses da sociedade.

Não se trata de tarefa fácil, contudo. O burocratismo tem fundas raízes entre nós: é, em primeiro lugar, um problema estrutural. O processo de formação histórica do Estado brasileiro consolidou uma estrutura autocrático-burocrática, pesada e lenta, que se coloca acima e por cima das forças vivas da sociedade, chegando a muitos casos a se constituir em verdadeira tirania asfixiando o cidadão comum. No caso do Rio de Janeiro, longos anos como capital do país reforçaram essas características, a elas agregando ainda difundidos vícios de nepotismo, clientelismo, venalidade e tráfico de influências. E tais defeitos estruturais só fizeram se agravar com as conseqüências nocivas de um autoritarismo que levou a máquina administrativa a uma quase onipotência sobre o corpo social.

Nessas circunstâncias, a própria preocupação com os entraves representados pelo aparato institucional inoperante acabaria se deformando. Equivocadamente também o problema tem sido enfocado substancialmente em termos de "desburocratização", amiúde entendida apenas como esforço voltado para as normas e rotinas internas, com uma ênfase despropositada em estruturas e regimentos.

Ora, cortar papéis e exigências burocráticas constitui tarefa necessária e urgente. Mas limitar-se a isso denota uma visão superficial da questão. De certa forma, é o mesmo que colocar a raposa guardando o galinheiro: por melhores que sejam as intenções, o burocrata tende a ter uma visão burocrática até mesmo da desburocratização. E então se fica nos sintomas, sem atacar as causas da doença.

O que importa, fundamentalmente, é modernizar e transformar a administração pública, com base em novo modelo de gestão governamental. Trata-se de atacar os pontos críticos da administração a partir do ponto de vista e com a participação da forças econômicas e sociais, visando fazer a administração da coisa pública voltada para o público, de modo a que toda a máquina administrativa se transforme em fator de desenvolvimento e não em obstáculo ao dinamismo da sociedade. E, como a burocracia não pode gerar desburocracia, impõem-se a formulação de políticas e a criação de instrumentos específicos capazes de promover essa transformação, inclusive desenvolvendo canais eficientes e sistemáticos de participação da forças econômicas e sociais nesse processo.

Só a integração do necessário esforço interno com a desejável pressão externa poderá mover o aparelho administrativo nessa nova direção. É preciso suscitar uma mecânica de participação dos setores econômicos e da opinião pública para que se possam identificar concretamente os pontos de estrangulamento que asfixiam o desenvolvimento econômico e a vida dos cidadãos. As forças vivas da sociedade precisam ser sistematicamente ouvidas, pois só assim se terá condições de isolar e superar os entraves paralisantes do aparelho estatal.

A par da extensa e plena utilização dos órgãos da administração indireta, por natureza mais dinâmicos e ágeis, é preciso também formular diretrizes e desenvolver mecânicas internas que promovam uma ampla modernização da administração pública como um todo. Para tanto, é imprescindível uma profunda revisão da orientação governamental em três aspectos: informação, decisão e auditoria. O amplo uso da máquina de processamento e informação de dados a serviço efetivo das prioridades de governo e dos programas sociais e econômicos é fator decisivo para tornar mais rápido e consistente o processo decisório. Este, por seu turno, necessita de descentralização, iniciativa e autonomia operativa no quadro das políticas globais, com um espírito gerencial mais desenvolvido. E, para tanto, a auditoria deve se voltar sobretudo para a informação, a orientação e o apoio consultorial, tendo em vista a superação dos problemas operacionais dos órgãos de linha. E isso implica um grande e ordenado esforço de treinamento e conscientização dos agentes da administração pública em todos os níveis, bem como a reformulação de políticas e diretrizes em cada setor.

O atual processo de renovação do quadro político brasileiro possibilita concretamente um amplo esforço de transformação e modernização da administração pública, para que ela se volte efetivamente para o bem público e social, a serviço das forças vivas da sociedade e do cidadão comum.

Hoje, cresce como nunca a idéia de encontrar soluções brasileiras para os nossos problemas de administração, tanto na área empresarial como na pública. As teorias e técnicas de gestão são objeto de intensos debates, em nosso meio, visando buscar caminhos concretos e próprios para um desenvolvimento autônomo e independente, sem renunciar às inexcedíveis contribuições internacionais no campo do desenvolvimento das tecnologias de gestão.

A implementação desse esforço modernizante não pode continuar repetindo os equívocos e disfunções já apresentados no passado por tentativas semelhantes realizadas em diferentes esferas de governo, no parlamentarismo e no presidencialismo, no bipartidarismo e no multipartidarismo, em situação de normalidade política ou de excepcionalidade, configurando um quadro de circunstâncias e perspectivas que justificam a cautela e a prudência daqueles que precisam agora tentar, uma vez mais, reduzir a defasagem existente entre a capacidade operativa da máquina administrativa e as novas exigências do momento político, substancialmente marcado por maiores aspirações de desenvolvimento econômico e social.


wagners@attglobal.net
www.wagnersiqueira.com.br


  Mais notícias da seção BRASIL no caderno NOSSO JORNAL
23/04/2013 - BRASIL - Os Dragões de Cada Geração
Trata da verdadeira incapacidade treinada das atuais geraçõesw conhecidas como Y e Z para conviverem com o descontrole dos preços, já que acostumadas à expansão ilimitada do crédito e do consumo...
14/04/2013 - BRASIL - Domío de outro idioma aumenta salário
Domínio de outro idioma aumenta salário em até 51,89% Estudo recém apresentado pela consultoria Catho mostra que o domínio de um idioma estrangeiro pode aumentar o salário em até 51,89%. A pesquisa analisou 2.444 cargos em 19 mil empresas de todo o Brasil, comparando diferentes níveis hierárquicos e graus de fluência na língua inglesa e espanhola. ...
25/01/2013 - BRASIL - A Pedagogia da Planilha
Imagine um aluno devidamente matriculado num Curso de Graduação em Administração numa região qualquer do Brasil. A matriz curricular, pelas normais legais, deve conter uma carga horária mínima de 3.000 horas. O pressuposto é, claro, que esse aluno hipotético, exposto à tamanha carga de conteúdos de aprendizagem, esteja plenamente apto ao exercício...
23/01/2013 - BRASIL - Educação: Uma questão de gerência
Dentre as inúmeras abordagens que visam a diagnosticar as deficiências do desempenho do Sistema Educacional Brasileiro, duas merecem destaque....
13/01/2013 - BRASIL - Saúde: uma questão de gerência
Dentre as inúmeras abordagens que visam a diagnosticar as deficiências do desempenho do sistema hospitalar, duas merecem destaque. Uma é a posição dos que atribuem à atuação dos profissionais de saúde as principais responsabilidades pelas falhas. Nesta posição, os diagnósticos sugerem desde a incompetência até a falência ética. A outra posição é a ...
20/12/2012 - BRASIL - Ser versus fazer
Para os existencialistas a dissonância SER X TER seria a marca definitiva do homem moderno em busca do auto-encontro e da felicidade....
24/11/2012 - BRASIL - Elementos Essenciais do Trabalho em Equipe " Parte II
Na Parte I, tivemos a oportunidade de analisar a relação poder/autoridade na dinâmica do trabalho em equipe. ...
08/09/2012 - BRASIL - 47 Anos do Administrador
Data de aniversário, tempo de retrospecto e de retemperar vontades, tempo de aprofundar a constribuição do Administrador ao desenvolvimento do Brasil...
02/06/2012 - BRASIL - O Dia do Profissional de RH
O dia 3 de junho é a data comemorativa do profissional de RH em todo o mundo. ...
15/04/2012 - BRASIL - UM CONGRESSO ENXUTO CAPACITADO E COM MUITA TRANSPARÊNCIA.
EU ACREDITO QUE DEVERÍAMOS FAZER UMA CAMPANHA POPULAR PARA QUE NO SENADO E NA CÂMARA FEDERAL SOMENTE TIVESSE 27 PARLAMENTARES E CADA UM REPRESENTANDO O SEU ESTADO, COM ESTA MEDIDA A CORRUPÇÃO SERIA MAIS CONTROLADA, OS CUSTOS SERIAM BEM MENORES E NOS A POPULAÇÃO TERÍAMOS QUE FAZER UMA SELEÇÃO BEM APURADA NA HORA DE VOTARMOS, PARA COLOCAR NO CONGRESS...
11/04/2012 - BRASIL - Democracia, instituições e costumes
A boa prática da democracia depende de duas condições: das instituições e dos costumes. Onde as instituições são adequadas e os costumes são saudáveis, está assegurada a democracia. Exemplo disto são os países da Escandinávia....
07/03/2012 - BRASIL - Exames de (IN) Suficiência
Há muitos anos em minhas andanças por universidades brasileiras por todo o Brasil tenho sido interpelado por alunos, professores e profissionais a respeito de minha opinião sobre os exames que são aplicados aos bacharéis de algumas carreiras de nível superior, como condição para, se aprovados, acessarem o mercado de trabalho como profissionais técn...
24/02/2012 - BRASIL - A hora e a vez da modernização administrativa
Ventos novos estão soprando pelo país. A evolução recente do processo político brasileiro, especialmente com os desdobramentos do quadro configurado pelo processo estável de crescimento econômico, potencializa a possibilidade até há pouco um sonho de promover profundas transformações democráticas na administração pública brasileira. Efetivamente...
02/02/2012 - BRASIL - Usos da hierarquia no trabalho em equipe
Os diferentes usos da hierarquia no trabalho em quipe: eu-sozinho, um-com-todos, um-com-alguns, uns-com-alguns, todos-com-todos. Enfim, não é fácil saber identificar claramente e utilizar funcionalmente os distintos usos da hierarquia numa ação cooperativa em grupo....
19/01/2012 - BRASIL - Os déspotas de uma burocracia insensível
"A indiferença ao bem comum é o vicio da política e da gestão pública praticada pelos déspotas da burocracia insensível existente no Brasil"....
19/06/2011 - BRASIL - O Professor de Administração
Falar dos professores de administração, formadores de consciências, de valores e de opções éticas na gestão das organizações, como se todos pertencessem a um grupo homogêneo é uma insensatez....
22/02/2011 - BRASIL - Ora, Direis Ouvir Estrelas ...
Antes e acima de qualquer medida operacional, é necessário que se compreenda que as novas equipes de governo terão fundamentalmente que se comprometer com a gerência moderna e eficaz....
17/02/2011 - BRASIL - UM BRASIL MELHOR!!
Em plena tecnologia no século XXI onde internet e celulares trazem noticias de diversos locais do mundo em poucos minutos, o Brasil vive sua política parecendo àquelas carroças velhas puxada por cavalos e burros nos anos de 1930, para se fazer qualquer coisa que necessite da presença do poder publico leva pelo menos uma eternidade dias para ser con...
28/08/2010 - BRASIL - Busque as causas do mau desempenho
Experiência não é o que acontece com a gente, mas o que fazemos com o que nos acontece.Aprender com a experiência é essencialmente buscar as cuasas dos maus desempenhos e fortalecer os pontos positivos....
17/08/2010 - BRASIL - Aprendizado Recíproco
A interação cotidiana gerente e seus colaboradores propicia uma fantástica possibilidade de aprendizagem recíproca.Transformar essa interação em resultados frutíferos é uma das mais significativas responsabilidades gerenciais...
11/08/2010 - BRASIL - A Sabedoria da Experiência
A experiência não é o que acontece conosco, mas o que fazemos com o que nos acontece.Eis ai algumas goticulas de sabedoria destiladas a partir da experiência....
02/08/2010 - BRASIL - MEMORIAL SAÚDE
UM PLANO DE SAÚDE AO ALCANCE DE TODOS TEM O MELHOR PREÇO DO MERCADO. PARA MELHORES INFORMAÇÕES LIGUE PARA NOSSA CONSULTORA.NEIDE(21)9828-9245 ou ( 2482-4211 após 20h00min )....
08/06/2010 - BRASIL - Prestar Contas Por Mau Desempenho
O gerente precisa estar sempre atento às causas ou às fontes do mau desempenho de seus colaboradores. O que fazer diante de tais circunstâncias é o grande desafio gerencial....
18/05/2010 - BRASIL - Orçamento Público
A reconceptualização total do orçamento publico é uma imposição de construção da sociedade democrática que o brasil deseja...
02/04/2010 - BRASIL - TRABALHO: Pode Fazer alguém Feliz?
Stress, insatisfação, depressões, inseguranças, desajustamentos, vícios e até suicídios: o trabalho é uma fonte de infelicidade ou existem pessoas felizes com o que fazem nas organizações a que pertencem?...



Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA