| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL RJ -NITERÓI E BAIXADA FLUMINENSE
Desde: 16/11/2009      Publicadas: 8706      Atualização: 01/10/2013

Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA


 NOSSO JORNAL

  10/12/2012
  0 comentário(s)


O Pensamento Único nas Organizações

A privatização da sociedade civil, umbilicalmente vinculada à profissionalização das grandes ONGs internacionais, traz em seu bojo o florescimento de um novo risco à democracia nos tempos modernos, ou seja, o ovo da serpente do totalitarismo: o espírito crítico da sociedade se circunscreve à hegemonia de um pensamento único, percebido equivocadamente como a quintessência do consenso na sociedade em que vivemos.

O Pensamento Único nas Organizações
Há um paradoxo intrínseco nesse enorme equívoco, que precisa ser devidamente desvendado. Ele se particulariza numa interação cada vez mais promíscua entre as próprias ONGs, os governos e as macro-organizações globalizadas. Vejamo-lo explicitamente nos itens a, b, c, abaixo descritos:


1.As grandes ONGs internacionais mobilizam uma enorme gama de recursos humanos, financeiros e institucionais que efetivamente contribuem para fazer existir a globalização como um enredo político de forças controversas; mas, igualmente; se constitui num generoso espaço de exposição em torno do qual os técnicos e especialistas se dedicam com afinco. Quando participam de diferentes fóruns internacionais esses experts têm todo o interesse de não destruir esse novo espaço de exposição dos quais são importantes e badalados protagonistas, vale dizer, passam a dispor de poder e de influência, de reconhecimento e de prestígio na cena mundial. Aparecem como os porta-vozes da sociedade civil organizada.
2.Concomitantemente, forja-se uma capilaridade crescente e permanente entre a sociedade civil e o aparelho de Estado: os melhores especialistas de defesa dos direitos dos cidadãos, por exemplo, que combatem ferozmente as empresas privadas por suas práticas indevidas de desrespeito à cidadania, podem alguns anos mais tarde, sem o menor constrangimento, colocar-se a serviço das mesmas empresas que antes combatiam com tanto denodo.

Esta circunstância objetiva alimenta as razões de justificativas, os networks e os lobbies, e está na origem e no limite do poderoso desenvolvimento e da espetacularização dos formadores de opinião pública no mundo empresarial, sustentados por organizações partícipes líderes da sociedade de mercado.


3. Para legitimar o desejo de universalização e de homogeneização de pensamento e ação, tanto as organizações empresariais quanto as ONGs, os governos e as grandes fundações globais recrutam quadros entre os melhores cérebros universitários e os intelectuais também dos países emergentes e do terceiro mundo.



O paradoxo é que a enormidade de meios e de recursos utilizados para questionar os efeitos nocivos da globalização contribua para plasmar a universalização e a hegemonia do pensamento único no mundo organizacional.


Os mesmos que trabalham hoje no núcleo central do aparelho do Estado e nas funções periféricas de governo podem ser encontrados amanhã também trabalhando nas grandes fundações internacionais, as quais, aliás, fomentam e financiam os movimentos sociais e propugnam pela responsabilidade social das organizações, pela ética empresarial, pelas empresas cidadãs e pelo desenvolvimento sustentável. São os mesmos que exercem papéis e funções paradoxais, porque contraditórios e incompatíveis, em diferentes situações organizacionais. Ora nos governos, ora nas ONGs e ora nas fundações.


Assim, a ideologia que irriga e fecunda os formadores de opinião no universo das relações empresariais e na sociedade civil se desenvolve de forma sutil e clandestina no mundo acadêmico e nas práticas organizacionais, na formulação de teorias de gestão e na sua implementação.


Esta interação paradoxal contribui efetivamente para a uniformização ou a estandardização das oportunidades no campo mundial de formação dos dirigentes públicos, dos quadros gerenciais privados, e dos líderes das organizações constitutivas da sociedade civil em suas diferentes nuances.


O discurso edulcorado dessas elites oriundas de tal interação promíscua exala um perfume de modernidade e de espontaneidade capaz de seduzir parcelas substantivas da opinião pública. E assim propaga-se o equivoco de que o sistema cede e se humaniza. Ledo engano!



Temo que esteja em marcha sorrateira a universalização de um pensamento único apenas capaz de promover respostas puramente cosméticas aos dramas do desenvolvimento sustentável e da preservação ambiental.


Sob o influxo da ação de numerosas ONGs em todo o mundo, cada vez mais contidas e cooptadas, normalmente financiadas por grandes instituições fundacionais globais, como, por exemplo, as fundações Soros, Rockefeller, Ford ou Gates, que são os braços operacionais de proteção social ou de benemerência da sociedade de mercado, a sociedade civil perde voz e vez, arrefece a sua capacidade de luta e obscurece a consciência de sua verdadeira realidade.


A sociedade civil se torna, assim, simplesmente instrumental ou funcional para o domínio e o controle dos grandes acionistas majoritários da economia globalizada.


Freqüentemente são os mesmos participantes das ONGs que denunciam, sob grande repercussão na imprensa, as violações aos direitos humanos ou os crimes ambientais e que, paralelamente, como protagonistas do debate mundial participam bem mais contidos e circunspectos dos fóruns internacionais, legitimando a construção de uma versão mais condescendente do liberalismo da sociedade de mercado. Ora, é justamente a economia de mercado a fonte e a origem, a razão de ser dos excessos praticados pelas organizações empresariais em todo o mundo.



Os laboratórios intelectuais e as pesquisas acadêmicas da sociedade do conhecimento a serviço do mercado buscam moldar a globalização de uma feição mais humanizada. Em verdade, com os resultados que obtêm, legitimando os processos e as práticas existentes, terminam por se constituir em cortinas de fumaça e álibis que contribuem para deslegitimar as reais críticas e os questionamentos ao mercado como o inimputável condottieri da vida humana moderna. Cada vez mais privam o homem de sua forma humana, reduzindo-o a uma mera dimensão de variável econômica.



Ao fim e ao cabo os formadores de opinião, queridinhos da mídia na sociedade do espetáculo, tendem a pasteurizar as idéias progressistas de transformação da realidade, contribuindo com suas ações e omissões para a manutenção do establishment e do status quo.


Passam a idéia e fazem crer que o capitalismo possua a capacidade de se auto-reformar suavemente, sob base voluntária e consensual. E mais ainda: em perfeita harmonia, sob consenso pactual, com os consumidores e o desenvolvimento sustentável, os conselheiros da ética empresarial, que normalmente se apresentam como consultores, mentores ou professores de administração, os ativistas dos movimentos sociais globalizados, os políticos tradicionais e os governos. No mais das vezes, querem incorporar a tal consenso pactual as próprias vítimas das ilicitudes empresariais, sempre através de modestas indenizações financeiras ou das chantagens de ameaça das perdas de emprego pela relocalização das plantas industriais.



Tudo isso, obviamente, contribui para a contenção e o abaixamento do tom dos protestos nas ruas e a praticidade objetiva das denúncias e das ações judiciais contra as ilicitudes produzidas pela ação empresarial danosa. Pior ainda: amiúde os formadores de opinião são inteiramente cooptados com a cumplicidade do silêncio conveniente.


Essa astúcia estratégica da sociedade de mercado se estende, por certo, à interminável novela da falsa e verdadeira luta contra a corrupção e os circuitos escabrosos dos dinheiros sujos das multinacionais. Mas ai vai outra dimensão da mesma problemática da má contribuição dos formadores de opinião para a homogeneização de um pensamento único, portanto totalitário, na cena mundial imposta ao universo da sociedade e particularmente ao mundo das organizações. Lados opostos da mesma moeda, facetas distintas de uma mesma realidade, uma situação reforça a outra.



Adm. Wagner Siqueira
Presidente



  Mais notícias da seção BRASIL no caderno NOSSO JORNAL
23/04/2013 - BRASIL - Os Dragões de Cada Geração
Trata da verdadeira incapacidade treinada das atuais geraçõesw conhecidas como Y e Z para conviverem com o descontrole dos preços, já que acostumadas à expansão ilimitada do crédito e do consumo...
14/04/2013 - BRASIL - Domío de outro idioma aumenta salário
Domínio de outro idioma aumenta salário em até 51,89% Estudo recém apresentado pela consultoria Catho mostra que o domínio de um idioma estrangeiro pode aumentar o salário em até 51,89%. A pesquisa analisou 2.444 cargos em 19 mil empresas de todo o Brasil, comparando diferentes níveis hierárquicos e graus de fluência na língua inglesa e espanhola. ...
25/01/2013 - BRASIL - A Pedagogia da Planilha
Imagine um aluno devidamente matriculado num Curso de Graduação em Administração numa região qualquer do Brasil. A matriz curricular, pelas normais legais, deve conter uma carga horária mínima de 3.000 horas. O pressuposto é, claro, que esse aluno hipotético, exposto à tamanha carga de conteúdos de aprendizagem, esteja plenamente apto ao exercício...
23/01/2013 - BRASIL - Educação: Uma questão de gerência
Dentre as inúmeras abordagens que visam a diagnosticar as deficiências do desempenho do Sistema Educacional Brasileiro, duas merecem destaque....
13/01/2013 - BRASIL - Saúde: uma questão de gerência
Dentre as inúmeras abordagens que visam a diagnosticar as deficiências do desempenho do sistema hospitalar, duas merecem destaque. Uma é a posição dos que atribuem à atuação dos profissionais de saúde as principais responsabilidades pelas falhas. Nesta posição, os diagnósticos sugerem desde a incompetência até a falência ética. A outra posição é a ...
20/12/2012 - BRASIL - Ser versus fazer
Para os existencialistas a dissonância SER X TER seria a marca definitiva do homem moderno em busca do auto-encontro e da felicidade....
24/11/2012 - BRASIL - Elementos Essenciais do Trabalho em Equipe " Parte II
Na Parte I, tivemos a oportunidade de analisar a relação poder/autoridade na dinâmica do trabalho em equipe. ...
08/09/2012 - BRASIL - 47 Anos do Administrador
Data de aniversário, tempo de retrospecto e de retemperar vontades, tempo de aprofundar a constribuição do Administrador ao desenvolvimento do Brasil...
02/06/2012 - BRASIL - O Dia do Profissional de RH
O dia 3 de junho é a data comemorativa do profissional de RH em todo o mundo. ...
15/04/2012 - BRASIL - UM CONGRESSO ENXUTO CAPACITADO E COM MUITA TRANSPARÊNCIA.
EU ACREDITO QUE DEVERÍAMOS FAZER UMA CAMPANHA POPULAR PARA QUE NO SENADO E NA CÂMARA FEDERAL SOMENTE TIVESSE 27 PARLAMENTARES E CADA UM REPRESENTANDO O SEU ESTADO, COM ESTA MEDIDA A CORRUPÇÃO SERIA MAIS CONTROLADA, OS CUSTOS SERIAM BEM MENORES E NOS A POPULAÇÃO TERÍAMOS QUE FAZER UMA SELEÇÃO BEM APURADA NA HORA DE VOTARMOS, PARA COLOCAR NO CONGRESS...
11/04/2012 - BRASIL - Democracia, instituições e costumes
A boa prática da democracia depende de duas condições: das instituições e dos costumes. Onde as instituições são adequadas e os costumes são saudáveis, está assegurada a democracia. Exemplo disto são os países da Escandinávia....
07/03/2012 - BRASIL - Exames de (IN) Suficiência
Há muitos anos em minhas andanças por universidades brasileiras por todo o Brasil tenho sido interpelado por alunos, professores e profissionais a respeito de minha opinião sobre os exames que são aplicados aos bacharéis de algumas carreiras de nível superior, como condição para, se aprovados, acessarem o mercado de trabalho como profissionais técn...
24/02/2012 - BRASIL - A hora e a vez da modernização administrativa
Ventos novos estão soprando pelo país. A evolução recente do processo político brasileiro, especialmente com os desdobramentos do quadro configurado pelo processo estável de crescimento econômico, potencializa a possibilidade até há pouco um sonho de promover profundas transformações democráticas na administração pública brasileira. Efetivamente...
02/02/2012 - BRASIL - Usos da hierarquia no trabalho em equipe
Os diferentes usos da hierarquia no trabalho em quipe: eu-sozinho, um-com-todos, um-com-alguns, uns-com-alguns, todos-com-todos. Enfim, não é fácil saber identificar claramente e utilizar funcionalmente os distintos usos da hierarquia numa ação cooperativa em grupo....
19/01/2012 - BRASIL - Os déspotas de uma burocracia insensível
"A indiferença ao bem comum é o vicio da política e da gestão pública praticada pelos déspotas da burocracia insensível existente no Brasil"....
19/06/2011 - BRASIL - O Professor de Administração
Falar dos professores de administração, formadores de consciências, de valores e de opções éticas na gestão das organizações, como se todos pertencessem a um grupo homogêneo é uma insensatez....
22/02/2011 - BRASIL - Ora, Direis Ouvir Estrelas ...
Antes e acima de qualquer medida operacional, é necessário que se compreenda que as novas equipes de governo terão fundamentalmente que se comprometer com a gerência moderna e eficaz....
17/02/2011 - BRASIL - UM BRASIL MELHOR!!
Em plena tecnologia no século XXI onde internet e celulares trazem noticias de diversos locais do mundo em poucos minutos, o Brasil vive sua política parecendo àquelas carroças velhas puxada por cavalos e burros nos anos de 1930, para se fazer qualquer coisa que necessite da presença do poder publico leva pelo menos uma eternidade dias para ser con...
28/08/2010 - BRASIL - Busque as causas do mau desempenho
Experiência não é o que acontece com a gente, mas o que fazemos com o que nos acontece.Aprender com a experiência é essencialmente buscar as cuasas dos maus desempenhos e fortalecer os pontos positivos....
17/08/2010 - BRASIL - Aprendizado Recíproco
A interação cotidiana gerente e seus colaboradores propicia uma fantástica possibilidade de aprendizagem recíproca.Transformar essa interação em resultados frutíferos é uma das mais significativas responsabilidades gerenciais...
11/08/2010 - BRASIL - A Sabedoria da Experiência
A experiência não é o que acontece conosco, mas o que fazemos com o que nos acontece.Eis ai algumas goticulas de sabedoria destiladas a partir da experiência....
02/08/2010 - BRASIL - MEMORIAL SAÚDE
UM PLANO DE SAÚDE AO ALCANCE DE TODOS TEM O MELHOR PREÇO DO MERCADO. PARA MELHORES INFORMAÇÕES LIGUE PARA NOSSA CONSULTORA.NEIDE(21)9828-9245 ou ( 2482-4211 após 20h00min )....
08/06/2010 - BRASIL - Prestar Contas Por Mau Desempenho
O gerente precisa estar sempre atento às causas ou às fontes do mau desempenho de seus colaboradores. O que fazer diante de tais circunstâncias é o grande desafio gerencial....
28/05/2010 - BRASIL - Por Uma Administração Moderna, Eficaz e Voltada Para o Público
Modernizar a máquina administrativa representa um desafio essencial para os dirigentes públicos e para o conjunto de toda a sociedade brasileira. Mas como o burocrata tem uma visão burocrática até mesmo da desburocratização, persistimos nos erros de outrora apresentando-os como soluções novas....
18/05/2010 - BRASIL - Orçamento Público
A reconceptualização total do orçamento publico é uma imposição de construção da sociedade democrática que o brasil deseja...
02/04/2010 - BRASIL - TRABALHO: Pode Fazer alguém Feliz?
Stress, insatisfação, depressões, inseguranças, desajustamentos, vícios e até suicídios: o trabalho é uma fonte de infelicidade ou existem pessoas felizes com o que fazem nas organizações a que pertencem?...



Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA