| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL RJ -NITERÓI E BAIXADA FLUMINENSE
Desde: 16/11/2009      Publicadas: 8706      Atualização: 01/10/2013

Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA


 NOSSO JORNAL

  27/08/2011
  0 comentário(s)


A Ordem Institucional-Legal

O que vai limitar a Ordem Econômica ou Tecnocientífica, ou seja, o desenvolvimento das ciências e das tecnologias, o progresso científico-tecnológico, os avanços da economia de mercado?

A Ordem Institucional-LegalSerá a Ordem Jurídico-Política ou Institucional-Legal, ou seja, a lei e o Estado, a organização e o arcabouço institucional-legal da sociedade democraticamente consensada, quer de um só país quer de todo o mundo.

O que vai limitar a Ordem Econômica ou Tecnocientífica, ou seja, o desenvolvimento das ciências e das tecnologias, o progresso científico-tecnológico, os avanços da economia de mercado?
Será a Ordem Jurídico-Política ou Institucional-Legal, ou seja, a lei e o Estado, a organização e o arcabouço institucional-legal da sociedade democraticamente consensada, quer de um só país quer de todo o mundo.
É o legislador quem nos diz se devemos ou temos o direito ou não de fazer a clonagem reprodutiva, as manipulações genéticas, o uso das células-tronco, a interrupção da gravidez nos casos dos fetos anafiláticos, a eutanásia, o aborto, a pena de morte e assim por diante.
É o legislador que estabelece os regramentos e a fixação dos limites ao desenvolvimento das ciências e das técnicas, que contém a voracidade do mercado por meio da mediação dos interesses e das vontades do povo numa democracia representativa.
A Ordem Jurídico-Política é estruturada, internamente, pela oposição entre o legal e o ilegal, entre o que a sociedade admite como legítimo e o ilegítimo, entre o que até se possa fazer, mas não se deva fazer como decorrência da vontade predominante da população.
Jurídica e institucionalmente, há o que a lei autoriza (o legal) e o que a lei proíbe (o ilegal), democraticamente fixado pela vontade majoritária da sociedade.
Politicamente, há os que têm competência para fazer a lei, isto é, detêm a maioria da representação, e os que não têm competência para fazer a lei que desejam, ou seja, a minoria, a oposição. É assim a ordem democrática e republicana.
Nem toda lei é boa, de um ponto de vista moral, nem eficaz, de um ponto de vista econômico. Se assim fosse, seria muito simples legalmente proibir que as empresas demitissem os seus empregados e dobrar o valor do salário mínimo. Seria muito fácil, como conta famosa piada da época da Revolução de 64 do general de plantão que mandou o ministro do planejamento revogar a lei da oferta e da procura para acabar rapidamente com a inflação. Bastaria a edição de uma lei aprovada democraticamente no Congresso. Claro, seria uma lei legitima, democrática, moralmente positiva, mas muito pouco provável de aplicação econômica prática.
Assim, portanto, como se limita a Ordem Econômica ou Tecnocientífica através da aplicação dos regramentos estabelecidos pela Ordem Jurídico-Política, também esta precisa ser limitada por outra ordem que lhe seja exterior.
E, essencialmente, por duas razões: uma razão individual, que vale para cada um de nós; e uma razão coletiva, que vale para o conjunto da população.
Imagine-se um indivíduo perfeitamente respeitador da legalidade do país em que viva, que sempre faz o que a lei determina, que nunca faria o que a lei proíbe - o cidadão "legalmente correto" ou "politicamente correto",como usualmente se fala no linguajar do cotidiano.
Vejamos o que poderia acontecer com ele se nos restringíssemos apenas a essa percepção legalista:
Nenhuma lei veda o egoísmo;
Nenhuma lei veda o desprezo;
Nenhuma lei veda o ódio;
Nenhuma lei veda a inveja;
Nenhuma lei veda o ciúme, e por aí vai.
Mas também nenhuma lei veda a mentira, a não ser em situações bem definidas.
De modo que esse nosso cidadão "politicamente correto" pode ser mentiroso, invejoso, mau, egoísta, cheio de ódio e de desprezo, mas um perfeito cumpridor das leis e das posturas públicas. Seria, assim, um canalha "legalmente correto". E, assim, por se julgar "politicamente correto", fica tão em moda e valorizado no contexto atual de nossa sociedade.
Imagine-se, ainda, que ele possa ser científica e tecnicamente competente. Mas nem por isso deixará de ser um canalha, um canalha "competente legalmente correto", e até percebido por muitos como "politicamente correto". Ele, acima de tudo e de todos, sempre se auto-avaliará dessa forma.
Se quisermos, individualmente, escapar desse espectro do canalha "competente legalmente correto", devemos encontrar outra ordem ou dimensão, além dessas duas outras - a Ordem Econômica ou Tecnocientifica e a Ordem Jurídico-Politica, para tudo o que seja científica e tecnicamente possível, e ainda que política e legalmente autorizado, nem por isso seja feito.
A segunda razão, a razão coletiva, para limitar a Ordem Jurídico-Política ou Institucional-Legal, fundamenta-se na necessidade de escapar dos riscos colocados pelo povo que, ao açambarcar todos os direitos, poderia inclusive fazer o pior.
A história da humanidade é permeada de exemplos: foi a Ordem Jurídico-Politica alemã que sustentou os crimes nazistas na perseguição aos judeus. Foi a Ordem Jurídico-Politica sul-africana que embasou o apartheid. Foram as Ordens Institucionais-Legais de muitas nações que por séculos e séculos legitimaram a exploração o homem através da escravatura e a coisificação da mulher e da criança.
Diz Martin Luther King em mobilização pelos direitos raciais nos USA:" a desobediência às leis injustas constitui uma responsabilidade moral".
Como a Ordem Jurídico-Politica ou Institucional-Legal também é incapaz, como as demais, de se limitar a si mesma, só pode ser limitada do exterior, por outra ordem ou por limites que lhe sejam interpostos externamente.
Não há limites democráticos à democracia. Há que se buscar no exterior dela os seus mecanismos de controle.
Assim, também, não há limites jurídicos ou políticos ao direito e à política.
Não há limites biológicos à biologia, ou científicos à ciência, assim como não há limites econômicos à economia.
Há que se buscar, de novo, e´ um limite externo, exterior à Ordem Juridico-Politico. É a Ordem Moral, que atua como limite externo à política e ao direito.
Charles Darwin tem toda a razão quando afirma que a "grande diferença entre o homem e o macaco é o senso moral". Bem, pelo menos até aqui pelo que conhecemos da vida animal. Nada nos assegura que isto será assim amanhã.




  Web site: www.wagnersiqueira.com  Autor: wagner siqueira


  Mais notícias da seção INTERNACIONAL no caderno NOSSO JORNAL
03/03/2013 - INTERNACIONAL - O Patrão de Si Mesmo
A luta de classes entre patrões e empregados se transferiu para o íntimo de cada trabalhador. Não mais se dá por meio da mediação, da negociação e do dissídio dos sindicatos. Esta é a razão intrínseca do desprestígio dos movimentos sindicais em todo o mundo....
09/02/2013 - INTERNACIONAL - A Pesquisa de Hawthorne
O que efetivamente demonstram as tragédias dos suicídios e os sofrimentos psicológicos que estigmatizam o funcionamento das grandes corporações empresariais em todo o mundo?...
04/11/2012 - INTERNACIONAL - É Possível Conciliar Ética e Lucro? (Parte IV)
"Ao ingressarem no mundo do trabalho as pessoas fraturam o seu comportamento ao conviverem simultaneamente com as imposições de duas éticas distintas e ambivalentes: a ética de convicções e a ética de resultados"...
14/10/2012 - INTERNACIONAL - É Possivel Conciliar Ética e Lucro? Parte III
A tentativa de generalização de aplicação dos pressupostos da ética empresarial coloca em cores vivas o equacionamento da resposta objetiva e concreta à necessidade de compatibilização dos conceitos de lucro e de ética no mundo corporativo....
13/10/2012 - INTERNACIONAL - É Possível Conciliar Ética e Lucro? (Parte II)
Grande "must" do mundo corporativo nos dias atuais, a indagação comporta questionamentos e dúvidas, mas afirma o limiar de um novo tempo. Será?...
13/10/2012 - INTERNACIONAL - É Possível Conciliar Ética e Lucro? (Parte I)
Grande "must" do mundo corporativo nos dias atuais, a indagação comporta questionamentos e dúvidas, mas afirma o limiar de um novo tempo. Será? Leia os textos seqüenciais sobre o tema, reflita, forme o seu juízo, e chegue às suas próprias conclusões....
22/06/2012 - INTERNACIONAL - O Pensamento Único nas Organizações
A privatização da sociedade civil, umbilicalmente vinculada à profissionalização das grandes ONGs internacionais, traz em seu bojo o florescimento de um novo risco à democracia nos tempos modernos, ou seja, o ovo da serpente do totalitarismo: o espírito crítico da sociedade se circunscreve à hegemonia de um pensamento único, percebido equivocadamen...
27/03/2012 - INTERNACIONAL - Elementos Essenciais do Trabalho em Equipe
Uma equipe de trabalho possui elementos peculiares de atitude e de ação. As análises de seu desempenho, dos comportamentos de seus membros individuais ou dos resultantes do trabalho coletivo são bastante expressivas para a compreensão de sua atuação e de como deveria funcionar para tornar-se mais eficaz. ...
10/03/2012 - INTERNACIONAL - O Fundamentalismo Religioso no Trabalho
Veja, com acesso para leitura inteiramente gratuito, o livro "As Seitas Organizacionais" no site do CRA-RJ, biblioteca/acervo digital, que trata da construção de ambientes totalitários no cotidiano das macro corporações complexas do mundo globalizado. Examine se você integra ou já participou delas....
13/02/2012 - INTERNACIONAL - Desenvolvimento Individual - o primeiro passo para a mudança
O primeiro passo para o processo de mudança das organizações se dá com o desenvolvimento individual....
08/01/2012 - INTERNACIONAL - Faço parte de uma equipe?
Quase sempre se toma esta questão como óbvia demais para ser respondida e, até mesmo, desnecessária a sua consideração. A pergunta é: sou parte de uma equipe? E, se sou, de que equipe? Quais são as outras partes? ...
27/12/2011 - INTERNACIONAL - Tal Presidente, tal Organização...
O dirigente precisa avaliar com cuidado as repercussões do seu estilo sobre o caráter ou a maneira de ser da sua própria empresa. Ela é sua extensão, pois afinal "o fruto nunca cai longe da árvore"....
06/12/2011 - INTERNACIONAL - Cultura Organizacional: você entende mesmo o que isso significa?
Quando os progressos das Ciências Sociais revelaram que o sentir e o pensar são, simultaneamente, fonte e limite do comportamento humano, abriram-se os caminhos a formulações bem mais profundas no campo da teoria das organizações....
07/11/2011 - INTERNACIONAL - Líderes: uma espécie em extinção?
Os escândalos de todos os dias, amplamente trombeteados pela imprensa em todo o mundo, têm gravitado em torno de duas questões centrais, vitais para o nosso cotidiano: a corrupção generalizada, " governamental e empresarial, nacional e internacional ", e a escassez de lideranças. ...
07/11/2011 - INTERNACIONAL - A Obsolescência dos Executivos
Obsolescência é a incapacidade de o executivo manter face às mudanças da ambiência organizacional um comportamento adaptativo e inovador, criativo. É o fracasso de alguém que já foi capaz de obter resultados que normalmente seriam dele esperados....
08/10/2011 - INTERNACIONAL - Universidades: a serviço do mercado
De forma geral, um novo campo de acumulação de capital se abre com a transformação das universidades em fábricas de produção do saber eficaz, ou seja, a serviço dos interesses comerciais do mercado....
26/09/2011 - INTERNACIONAL - O Ensino da Administração Centrado no Mercado
À semelhança de todo sistema de educacional contemporâneo, o ensino e a prática da administração e da gestão das organizações são baseados nos pressupostos de uma sociedade inteiramente centrada no mercado....
20/09/2011 - INTERNACIONAL - A Nova Ciência das Organizações
A reedição pela Editora da FGV, em futuro próximo, do livro "A Nova Ciência das Organizações: uma reconceituação da riqueza das nações", de Alberto Guerreiro Ramos, vai provocar novamente um terremoto nos dogmas e nas formas de pensar e de agir nas realidades organizacionais....
31/07/2011 - INTERNACIONAL - A Ordem Tecnocientifica ou Econômica
As teorias das organizações se forjam nas possibilidades e nas realidades objetivas da Ordem Tecnocientifica ou Econômica. Legitimá-las ou rejeitá-las são circunstâncias que podem conduzir ao sucesso corporativo no universo da sociedade...
17/07/2011 - INTERNACIONAL - A Motivação para a Realização
Quase todas as pessoas tendem a se autoperceberem como motivadas para a realização. ...
28/06/2011 - INTERNACIONAL - Você participa efetivamente de uma equipe de trabalho?
Será que você forma uma equipe de trabalho profissional em sua organização, ou apenas tal condição nada tem a ver com a sua realidade específica?...
05/06/2011 - INTERNACIONAL - A Sociedade do Conhecimento Integrada no Âmbito Empresarial
A Educação na Sociedade de Mercado.A escola se submete, cada vez mais, a enormes pressões para que se conforme aos novos paradigmas da globalização e da lógica da sociedade de mercado....
24/05/2011 - INTERNACIONAL - A Missão e a tarefa de nosso tempo
A organização é o reduto autoritario da sociedade brasileira. E e´ em seu cotidiano que se procede á discriminação contra as mulheres. Fazer avançar a equidade de generos é a missão e a tarefa de nosso tempo...
16/04/2011 - INTERNACIONAL - O Mito da Responsabilidade Social das Empresas
É uma doce ilusão julgar que mudanças voluntaristas produzidas por empresários progressistas sejam capazes por si só de transformar o sistema econômico, garantindo-lhe algum sentido de espírito publico e de bem comum....
30/03/2011 - INTERNACIONAL - RESPEITO AO CLIENTE
Encantar o cliente, eis o lugar comum de quisquer organizações. Ou seria fidelizá-lo, isto é, submetê-lo aos interesses dasorganizações`.Certamente, colonizá-lo expresse melhor o que hoje se faz, isto é, colocálo a serviço da empresa e ainda fazê-lo a pagar mais ainda por isso...
10/03/2011 - INTERNACIONAL - A Tirania da Urgência
A lógica das organizações modernas se sustenta na fomentação do stress, na manutenção permanente das atividades, "sempre se está muito pressa", na definição diuturna do emergencial, uma após a outra, num ciclo de urgências que não se encerra....
05/03/2011 - INTERNACIONAL - A Destruição Criadora
Joseph Schumpeter desenvolveu o conceito de que as inovações tendiam a destruir os produtos e serviços, metodos e processos de trabalhos fundados anteriormente. Nada mais contundente nestes tempos presentes do que o conceito de destruição criadora...
14/02/2011 - INTERNACIONAL - Ócio criativo
A profunda alteração do modelo econômico globalizado, de um capitalismo de produção, bem descrito por Marx, para um capitalismo de crédito e de consumo,ainda pouco percebido, muito menos compreendido, joga por terra para a quase totalidade das pessoas empregadas nas organizações e, muito mais, para os desempregados temporários e os definitivos, os...
22/01/2011 - INTERNACIONAL - A Teoria X e a Teoria Y
O texto apresenta concepções e práticas adotadas na gestão de pessoal no mundo das organizações e as analisa à luz dps conhecimentos das ciênciasdo comportamento humano no trabalho ...
08/01/2011 - INTERNACIONAL - Você Tem Vocação Para Empreendedor
Uma das mais cruciais decisões de um executivo bem sucedido é se deve iniciar uma carreira empresarial após tantos anos de contribuição às organizações em que trabalhou como empregado....



Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA