| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL RJ -NITERÓI E BAIXADA FLUMINENSE
Desde: 16/11/2009      Publicadas: 8706      Atualização: 01/10/2013

Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA


 NOSSO JORNAL

  05/03/2011
  0 comentário(s)


A Destruição Criadora

Joseph Schumpeter desenvolveu o conceito de que as inovações tendiam a destruir os produtos e serviços, metodos e processos de trabalhos fundados anteriormente. Nada mais contundente nestes tempos presentes do que o conceito de destruição criadora

A Destruição Criadora
Os princípios fundamentais do mercado repousam na autoconfiança, no trabalho árduo e na competição.
Os defensores da livre economia não se cansam de instigar as nações a abrirem os seus mercados à livre concorrência e a derrubarem as barreiras protecionistas que, alegam, dificultam e até impedem a livre circulação da riqueza.
Por coerência, a mesma lógica de argumentação deveria ser adotada para também instigar os acionistas dos grupos empresariais a levantarem as barreiras legais, igualmente protecionistas, que lhes asseguram tratamento tão privilegiado na atual ordem econômica.
É preciso que se admita, até por senso comum, que também os acionistas devam se abrir à livre competição de mercado com os empregados das organizações. Se a contribuição dos acionistas for efetivamente decisiva, certamente será prontamente reconhecida pelas forças de mercado. Se, no entanto, não for relevante - como claramente se evidencia no mais das vezes " não haverá razão que justifique a manutenção dessas proteções legais aos acionistas, a não ser sustentar privilégios indevidos, incompatíveis com o atual estágio civilizatório da humanidade.
Joseph Schumpeter criou na década de 1930 a teoria de que as inovações terminam por destruir os produtos e os métodos de produção mais antigos. Dessa forma, as empresas que se apóiam neles também tendem a ser destruídas num ciclo inexorável produzido pelo que chamou de destruição criadora.
Nenhum outro conceito explica de forma tão contundente a dinâmica que preside a economia globalizada nos tempos presentes. É claro, a velocidade e a contundência do processo destrutivo atual são muitíssimo maiores do que o dos tempos de Schumpeter.
Convivemos cotidianamente com a constatação da realidade corporativa de que ninguém consegue manter um desempenho de mercado consistentemente por muito tempo melhor do que o desempenho médio do setor em que atua, pois logo será alvejado pelas fagulhas da destruição criadora produzida pelos concorrentes.
Considerada a realidade das bolsas de todo o mundo, as corporações que conseguem obter retornos substantivos superiores são as novas e emergentes, e mesmo assim não mais do que uma década ou década e meia.
Não será cair nas armadilhas das profecias pressupor que a grande maioria das macro-organizações de hoje desaparecerão ou serão compradas em pouco tempo.
O grande desafio que se coloca para os gestores mundializados é como desenvolver na cultura organizacional a dinâmica do questionamento, da tomada da consciência da defasagem entre o que se é e o que se pode vir a ser, da implementação de ações capazes de tirar os seus cotidianos da zona de conforto, de aprender a confrontar o status quo e o establishement. O sucesso é doce, e o que está por cima, como a nata do leite, é a que primeiro azeda.
A destruição criadora é o processo de tomada de consciência e a decisão corajosa da necessidade de cortar na própria carne, de que para sobreviver muitas vezes são necessárias amputações de produtos e serviços, procedimentos e processos, normas e sistemas, para que uma nova realidade possa se fazer presente.
O simples fato de que uma diretriz seja, em termos objetivos, justa ou lógica não garante que todos a vejam da mesma forma. As pessoas não reagem a um mundo objetivo, mas ao mundo das suas percepções. O que é lógico não é necessariamente psicológico.
O erro é presumir que os valores, preferências e percepções da gerência, e a lógica que suporta o seu comportamento, são compartilhados por aqueles que implementam políticas e diretrizes. Freqüentemente não o são. As concepções gerenciais constituem uma espécie de teoria do comportamento humano nas organizações (muitas vezes não-conscientizada) sobre a natureza do ser humano na situação de trabalho e as estratégias adequadas para lidar com ela.
Algumas características da sociedade em que vivemos, e a dinâmica das organizações como parte dela, encontram-se de tal modo estabelecidas, arraigadas em nós, são tão penetrantes, que não conseguimos imaginar que possam ser diferentes. Como o ar que se respira, passam a fazer parte da nossa natureza, da própria vida.
Assim, se uma organização aspira realizar uma mudança fundamental, ela deve mudar os fundamentos sobre os quais se apóia. Por exemplo: se deseja sobreviver, deve estar disposta a ver muitas de suas unidades morrerem. Renovar-se não é uma operação simples, automática. É um processo que passa por autocríticas dolorosas, muitas vezes constrangedoras.
Aqueles empenhados em transformar as relações existentes e o quadro de circunstâncias que determinou a necessidade da mudança precisam criticar-se reciprocamente, reeducarem-se uns com os outros.
O sucesso da transformação depende da abertura, da transparência e da franqueza asseguradas uns aos outros.
A verdadeira mudança passa a depender cada vez mais do pluralismo. O hábito de pensar de um lado só deforma a percepção, turva o raciocínio, desvia o foco, contamina a emoção, gera hemiplegia intelectual.
A mudança, por definição, requer esforço. Este, por sua vez, exige uma direção e um sentido, uma idéia, uma convicção. É a convicção de que pode haver mudança para melhor, de que podem as condições atuais ser modificadas, a verdadeira essência do processo de mudança. É a convicção da esperança que nega a desesperança. É a propagação de uma idéia, com direção e sentido, que sugestiona, entusiasma, estimula e mobiliza. Produz a transformação.Possibilita a destruição criadora.
A vida é contraditória. E no emaranhado da vida não se encontra solução lógica, eminentemente racional, para as questões organizacionais. Elas sempre estarão "contaminadas" pela condição humana, suas histórias e peculiaridades próprias de cada um e de todas as pessoas que dela participam. O líder deve, mesmo assim, buscar como objetivo a ação gerencial, dotá-la da maior racionalidade possível.
De modo geral, quanto menor a alienação dos seus membros, mais competente e sinergética será a equipe. Os participantes cônscios de seu papel e comprometidos com o que fazem trabalham mais e melhor. As organizações que atuam com base no trabalho em equipe facilitam a concomitância da ampliação da racionalidade decisória, da redução dos níveis disfuncionais de emoção e de comunicação interpessoal, da auto-realização e da satisfação humana.
É preciso que estejamos permanentemente atentos aos movimentos tectônicos que ocorrem na economia e no mundo corporativo de hoje. Eles nos fazem refletir sobre o incrível tsunami, que não cessa de varrer os litorais das realidades organizacionais, de criação e de destruição de negócios, de florescimento e derrubada de impérios, de fusões e de incorporações, de joint-ventures e de falências, o mais das vezes, surpreendentes e imprevisíveis. E é neste contexto da destruição criadora, a que se referia Joseph Scumpeter, que se agravam as condições objetivas de acumulação de capital e que o sistema capitalista sofre uma descontinuidade ou ruptura, evoluindo da economia de produção para a economia de consumo e do crédito.
wagners@attglobal.net



  Mais notícias da seção INTERNACIONAL no caderno NOSSO JORNAL
03/03/2013 - INTERNACIONAL - O Patrão de Si Mesmo
A luta de classes entre patrões e empregados se transferiu para o íntimo de cada trabalhador. Não mais se dá por meio da mediação, da negociação e do dissídio dos sindicatos. Esta é a razão intrínseca do desprestígio dos movimentos sindicais em todo o mundo....
09/02/2013 - INTERNACIONAL - A Pesquisa de Hawthorne
O que efetivamente demonstram as tragédias dos suicídios e os sofrimentos psicológicos que estigmatizam o funcionamento das grandes corporações empresariais em todo o mundo?...
04/11/2012 - INTERNACIONAL - É Possível Conciliar Ética e Lucro? (Parte IV)
"Ao ingressarem no mundo do trabalho as pessoas fraturam o seu comportamento ao conviverem simultaneamente com as imposições de duas éticas distintas e ambivalentes: a ética de convicções e a ética de resultados"...
14/10/2012 - INTERNACIONAL - É Possivel Conciliar Ética e Lucro? Parte III
A tentativa de generalização de aplicação dos pressupostos da ética empresarial coloca em cores vivas o equacionamento da resposta objetiva e concreta à necessidade de compatibilização dos conceitos de lucro e de ética no mundo corporativo....
13/10/2012 - INTERNACIONAL - É Possível Conciliar Ética e Lucro? (Parte II)
Grande "must" do mundo corporativo nos dias atuais, a indagação comporta questionamentos e dúvidas, mas afirma o limiar de um novo tempo. Será?...
13/10/2012 - INTERNACIONAL - É Possível Conciliar Ética e Lucro? (Parte I)
Grande "must" do mundo corporativo nos dias atuais, a indagação comporta questionamentos e dúvidas, mas afirma o limiar de um novo tempo. Será? Leia os textos seqüenciais sobre o tema, reflita, forme o seu juízo, e chegue às suas próprias conclusões....
22/06/2012 - INTERNACIONAL - O Pensamento Único nas Organizações
A privatização da sociedade civil, umbilicalmente vinculada à profissionalização das grandes ONGs internacionais, traz em seu bojo o florescimento de um novo risco à democracia nos tempos modernos, ou seja, o ovo da serpente do totalitarismo: o espírito crítico da sociedade se circunscreve à hegemonia de um pensamento único, percebido equivocadamen...
27/03/2012 - INTERNACIONAL - Elementos Essenciais do Trabalho em Equipe
Uma equipe de trabalho possui elementos peculiares de atitude e de ação. As análises de seu desempenho, dos comportamentos de seus membros individuais ou dos resultantes do trabalho coletivo são bastante expressivas para a compreensão de sua atuação e de como deveria funcionar para tornar-se mais eficaz. ...
10/03/2012 - INTERNACIONAL - O Fundamentalismo Religioso no Trabalho
Veja, com acesso para leitura inteiramente gratuito, o livro "As Seitas Organizacionais" no site do CRA-RJ, biblioteca/acervo digital, que trata da construção de ambientes totalitários no cotidiano das macro corporações complexas do mundo globalizado. Examine se você integra ou já participou delas....
13/02/2012 - INTERNACIONAL - Desenvolvimento Individual - o primeiro passo para a mudança
O primeiro passo para o processo de mudança das organizações se dá com o desenvolvimento individual....
08/01/2012 - INTERNACIONAL - Faço parte de uma equipe?
Quase sempre se toma esta questão como óbvia demais para ser respondida e, até mesmo, desnecessária a sua consideração. A pergunta é: sou parte de uma equipe? E, se sou, de que equipe? Quais são as outras partes? ...
27/12/2011 - INTERNACIONAL - Tal Presidente, tal Organização...
O dirigente precisa avaliar com cuidado as repercussões do seu estilo sobre o caráter ou a maneira de ser da sua própria empresa. Ela é sua extensão, pois afinal "o fruto nunca cai longe da árvore"....
06/12/2011 - INTERNACIONAL - Cultura Organizacional: você entende mesmo o que isso significa?
Quando os progressos das Ciências Sociais revelaram que o sentir e o pensar são, simultaneamente, fonte e limite do comportamento humano, abriram-se os caminhos a formulações bem mais profundas no campo da teoria das organizações....
07/11/2011 - INTERNACIONAL - Líderes: uma espécie em extinção?
Os escândalos de todos os dias, amplamente trombeteados pela imprensa em todo o mundo, têm gravitado em torno de duas questões centrais, vitais para o nosso cotidiano: a corrupção generalizada, " governamental e empresarial, nacional e internacional ", e a escassez de lideranças. ...
07/11/2011 - INTERNACIONAL - A Obsolescência dos Executivos
Obsolescência é a incapacidade de o executivo manter face às mudanças da ambiência organizacional um comportamento adaptativo e inovador, criativo. É o fracasso de alguém que já foi capaz de obter resultados que normalmente seriam dele esperados....
08/10/2011 - INTERNACIONAL - Universidades: a serviço do mercado
De forma geral, um novo campo de acumulação de capital se abre com a transformação das universidades em fábricas de produção do saber eficaz, ou seja, a serviço dos interesses comerciais do mercado....
26/09/2011 - INTERNACIONAL - O Ensino da Administração Centrado no Mercado
À semelhança de todo sistema de educacional contemporâneo, o ensino e a prática da administração e da gestão das organizações são baseados nos pressupostos de uma sociedade inteiramente centrada no mercado....
20/09/2011 - INTERNACIONAL - A Nova Ciência das Organizações
A reedição pela Editora da FGV, em futuro próximo, do livro "A Nova Ciência das Organizações: uma reconceituação da riqueza das nações", de Alberto Guerreiro Ramos, vai provocar novamente um terremoto nos dogmas e nas formas de pensar e de agir nas realidades organizacionais....
27/08/2011 - INTERNACIONAL - A Ordem Institucional-Legal
O que vai limitar a Ordem Econômica ou Tecnocientífica, ou seja, o desenvolvimento das ciências e das tecnologias, o progresso científico-tecnológico, os avanços da economia de mercado?...
31/07/2011 - INTERNACIONAL - A Ordem Tecnocientifica ou Econômica
As teorias das organizações se forjam nas possibilidades e nas realidades objetivas da Ordem Tecnocientifica ou Econômica. Legitimá-las ou rejeitá-las são circunstâncias que podem conduzir ao sucesso corporativo no universo da sociedade...
17/07/2011 - INTERNACIONAL - A Motivação para a Realização
Quase todas as pessoas tendem a se autoperceberem como motivadas para a realização. ...
28/06/2011 - INTERNACIONAL - Você participa efetivamente de uma equipe de trabalho?
Será que você forma uma equipe de trabalho profissional em sua organização, ou apenas tal condição nada tem a ver com a sua realidade específica?...
05/06/2011 - INTERNACIONAL - A Sociedade do Conhecimento Integrada no Âmbito Empresarial
A Educação na Sociedade de Mercado.A escola se submete, cada vez mais, a enormes pressões para que se conforme aos novos paradigmas da globalização e da lógica da sociedade de mercado....
24/05/2011 - INTERNACIONAL - A Missão e a tarefa de nosso tempo
A organização é o reduto autoritario da sociedade brasileira. E e´ em seu cotidiano que se procede á discriminação contra as mulheres. Fazer avançar a equidade de generos é a missão e a tarefa de nosso tempo...
16/04/2011 - INTERNACIONAL - O Mito da Responsabilidade Social das Empresas
É uma doce ilusão julgar que mudanças voluntaristas produzidas por empresários progressistas sejam capazes por si só de transformar o sistema econômico, garantindo-lhe algum sentido de espírito publico e de bem comum....
30/03/2011 - INTERNACIONAL - RESPEITO AO CLIENTE
Encantar o cliente, eis o lugar comum de quisquer organizações. Ou seria fidelizá-lo, isto é, submetê-lo aos interesses dasorganizações`.Certamente, colonizá-lo expresse melhor o que hoje se faz, isto é, colocálo a serviço da empresa e ainda fazê-lo a pagar mais ainda por isso...
10/03/2011 - INTERNACIONAL - A Tirania da Urgência
A lógica das organizações modernas se sustenta na fomentação do stress, na manutenção permanente das atividades, "sempre se está muito pressa", na definição diuturna do emergencial, uma após a outra, num ciclo de urgências que não se encerra....
14/02/2011 - INTERNACIONAL - Ócio criativo
A profunda alteração do modelo econômico globalizado, de um capitalismo de produção, bem descrito por Marx, para um capitalismo de crédito e de consumo,ainda pouco percebido, muito menos compreendido, joga por terra para a quase totalidade das pessoas empregadas nas organizações e, muito mais, para os desempregados temporários e os definitivos, os...
22/01/2011 - INTERNACIONAL - A Teoria X e a Teoria Y
O texto apresenta concepções e práticas adotadas na gestão de pessoal no mundo das organizações e as analisa à luz dps conhecimentos das ciênciasdo comportamento humano no trabalho ...
08/01/2011 - INTERNACIONAL - Você Tem Vocação Para Empreendedor
Uma das mais cruciais decisões de um executivo bem sucedido é se deve iniciar uma carreira empresarial após tantos anos de contribuição às organizações em que trabalhou como empregado....



Capa |  ADMINISTRAÇÃO & ECONOMIA  |  BLOG  |  CÂMARA ESTADUAL  |  CÂMARA FEDERAL  |  CÂMARA MUNICIPAL  |  CIDADES & BAIRROS  |  EDUCAÇÃO E CULTURA  |  ESPORTE X LAZER  |  FESTAS E SHOWS  |  GASTRONOMIA X MODAS  |  GOVERNO ESTADUAL  |  GOVERNO FEDERAL  |  GOVERNO MUNICIPAL  |  JUSTIÇA X DIREITO  |  LINK  |  NOSSO JORNAL  |  POLÍTICA  |  SAÚDE X BELEZA  |  SENADO  |  TEATRO & TV & SHOW  |  TECNOLOGIA